UDOP - União Nacional da Bioenergia
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Economia Aumentar a letra    Diminuir a letra
Valagro espera crescimento de 30% ao ano no Brasil com grãos e fibras  

05/07/2018 - A italiana Valagro espera um aumento de 30% ao ano nas vendas de fertilizantes especiais no Brasil com o fortalecimento das operações em grãos e fibras. A companhia pretende atingir, com a estratégia, um faturamento próximo a R$ 100 milhões no País em 2020. Focada até o ano passado nos setores de horticultura e fruticultura, a Valagro iniciou a rota de crescimento para as maiores lavouras do País, como soja, milho, algodão, arroz e trigo, e para as regiões Sul, Centro-Oeste e o Mapitoba, nova fronteira agrícola na região entre os estados do Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia.

Há 20 anos no Brasil e há um ano com uma fábrica própria, em Pirassununga (SP) - que consumiu 10 milhões de euros de investimentos -, a Valagro espera elevar a fatia de grãos e fibras nas vendas dos atuais 20% para 80% no Brasil. "Do ponto de vista global, a expectativa é de chegarmos em 2020 com 30% das vendas mundiais relacionadas às culturas extensivas. No Brasil a previsão é chegarmos em 2022 com 60% das venda para grãos, partindo de um patamar atual de 20% a 25%", disse à reportagem Victor Sonzogno, diretor da Valagro para Brasil e Cone Sul.

O Brasil divide com Estados Unidos, China e Índia os mercados prioritários da companhia, o que justificou o investimento na unidade, um dos primeiros projetos "greenfield" da Valagro, no município do interior paulista, cuja capacidade de produção é de 50 mil toneladas por ano. Segundo o executivo, o avanço do setor de grãos se dará com o YieldON, produto lançado no Brasil no ano passado, já comercializado na França.

Sonzogno explica que o crescimento orgânico no Brasil é feito por meio da busca de "parcerias sustentáveis com distribuidores de perfis tecnológicos diferenciados", que incluem treinamentos feitos pela própria Valagro. "Quando falamos desse perfil tecnológico, é preciso treinar o mercado e melhorar capacitação. Por isso, investimos na capacitação, com plataforma Valagro Academy, para transferir a tecnologia ao mercado", disse.

O executivo lembra que a companhia, cujo faturamento global atingiu 133 milhões de euros no ano passado, tem equipe própria de pesquisa e desenvolvimento e investe na área 4% da receita, além de manter parcerias com centros de pesquisas e patentes próprias. "A missão é produzir mais com menos. A empresa acredita que o segmento de nutrição especial está no meio do caminho entre o 100% orgânico, que é inviável para alimentar toda a humanidade, e o 100% químico, que é inconsequente para sustentabilidade", afirmou.

Além do crescimento no País, a Valagro pretende transformar a unidade brasileira em base de exportação de produtos para a América Latina, principalmente para os vizinhos Chile, Uruguai e Argentina. Nas Américas, a companhia tem operações centralizadas também na Colômbia, México e Estados Unidos. Neste ano, anunciou a construção de uma fábrica na Carolina do Sul (EUA), cuja produção será voltada aos mercados norte-americano, canadense e mexicano.

Com o crescimento das exportações do Brasil e com vendas externas de outras unidades para mais 80 países, a Valagro espera minimizar a recente alta do dólar, já que os principais insumos são importados. "A empresa exportando para 80 países permite se equilibrar em relação à exposição das variações cambiais. A alta no Brasil nos impacta, tem efeito nos preços, mas tentamos buscar o equilíbrio", concluiu Sonzogno.

Fonte: Estadão Conteúdo
Texto extraído da revista Isto É
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
11/12/19 - À espera do Copom, taxas futuras de juros têm viés de baixa alinhadas com o dólar
  - Mesmo com alta do dólar e da carne, BC deve baixar juro para 4,5% ao ano, prevê mercado
  - IGP-M acelera alta a 1,83% na 1ª prévia de dezembro com pressão de bovinos, diz FGV
  - Ibovespa fecha em queda à espera de novidades sobre EUA-China, decisões de juros
10/12/19 - Dólar cai para R$ 4,129 e fecha no menor nível em um mês
  - Conab eleva para 121,09 mi t previsão de safra de soja do Brasil em 2019/2020
09/12/19 - Plantio de soja no Brasil vai a 93%, em linha com a média, diz AgRural
06/12/19 - Plantio da safra 2019/20 de milho no RS avança para 88% da área
  - Plantio da safra 2019/20 de soja na Argentina alcança 49,3% da área
  - Plantio da safra 2019/20 de milho na Argentina chega a 48,7% da área
  - Milho: cotações registram poucas movimentações em Chicago nesta sexta-feira
  - Rio Grande do Sul já plantou 88% da área de milho, segundo Emater
  - Brasil lidera produção mundial de soja sustentável
  - Soja sobe em Chicago nesta 6ª com notícia de nova liberação de cotas da China para os EUA
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Valagro espera crescimento de 30% ao ano no Brasil com grãos e fibras
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário: