Segunda-feira, 22 de abril de 2019
:
banner
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Energia Aumentar a letra    Diminuir a letra
A solução pela cana: qual é o potencial de produção da bioenergia no Brasil?  

10/09/2018 - A biomassa vem ganhando cada vez mais importância para a geração de energia no Brasil, contribuindo significativamente para os esforços de redução das emissões de CO². Respondendo pela maior parte desse recurso natural renovável, a cana-de-açúcar tem sido a grande aposta do setor. Mas qual seria o verdadeiro potencial da bioenergia no país?

De acordo com o gerente de Bioeletricidade da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA), Zilmar de Souza, uma importante vantagem da utilização da cana-de-açúcar é o fato de que a geração de eletricidade a partir do seu bagaço, que resulta da fabricação de açúcar e etanol, serve tanto como produto a ser vendido para a rede nacional como para consumo próprio nas usinas.

"Desde o ano de 1987, nós temos aí a atividade de geração de excedentes de energia elétrica, além do que eu preciso para o autoconsumo. Então, desde 1987, as usinas começaram a exportar energia elétrica para a rede também, para o Sistema Interligado Nacional (SIN), de tal forma que, hoje, nós temos, do total de usinas que existem no país — o dado que nós temos é de 2017 —, 367 usinas, todas produzem energia elétrica para o autoconsumo, o que já é algo bastante relevante do ponto de vista da sustentabilidade da indústria. Mas, desse total, 209 usinas, ou seja, 57% do total, já produzem não só para o autoconsumo, mas também excedentes para a rede de energia elétrica do Brasil. No ano passado, a nossa produção para a rede foi equivalente a atender algo como 11 milhões de consumidores o ano inteiro", disse o especialista em entrevista à Sputnik Brasil. "Então, já é bastante representativa essa atividade junto ao setor sucroenergético, mas também ela é bastante estratégica para a matriz energética brasileira atualmente."

Zilmar de Souza explica que o aproveitamento da cana como fonte de energia é bastante viável do ponto de vista econômico, mas não pode ser entendido como solução única para o abastecimento energético do país. Segundo ele, o Brasil tem uma demanda ainda reprimida e crescente por energia elétrica, que deve ser atendida com o uso de diferentes fontes sustentáveis.

"Na verdade, você tem um portfólio de soluções. Então, juntamente com eólica, solar... São fontes que podem ajudar bastante a atender essa demanda no Brasil, que ainda é crescente. Hoje, só para você ter uma ideia do potencial que nós temos, aproveitamos apenas 15% da geração de energia elétrica para rede a partir da biomassa da cana. Então, a nossa produção do ano passado para rede poderia ter sido sete vezes superior. Então, ainda tem uma grande avenida, um grande potencial a ser explorado a partir da bioeletricidade."

Atualmente, a matriz energética brasileira possui uma participação bastante significativa de fontes renováveis: 43,2%, segundo informações da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), contra apenas cerca de 14% na matriz mundial. Ocorre que, no caso da eletricidade, a geração de energia no país apresenta uma dependência muito grande do segmento hidráulico, superior a 65%, o que pode implicar em certas inconveniências. Além da questão ambiental, a escassez de chuvas e a consequente redução dos níveis de água nos reservatórios, por vezes, encarece a produção e a distribuição da energia elétrica.

Para o gerente de Bioeletricidade da UNICA, o aumento da participação da biomassa na geração de energia elétrica pode ajudar a reduzir esse problema. Ele destaca que, não coincidentemente, em 2017, "91% da geração para rede a partir da biomassa da cana ocorreu entre abril e novembro, que é justamente quando as hidrelétricas estão esvaziando os reservatórios". A estimativa, ainda de acordo com o especialista, é a de que tenha sido poupado "o equivalente a 15% da água dos reservatórios das hidrelétricas nos submercados sudeste e centro-oeste do país, que respondem por 60% do consumo no Brasil".

"Então, quanto mais bioeletricidade, mais eu consigo mitigar esse efeito da escassez hídrica, do risco hidrológico", disse Souza, sublinhando, em seguida, a necessidade de um refinamento do planejamento energético no país.


Fonte: Biomassa & Bioenergia
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
22/04/19 - Alcoolvale inicia safra 2019/2020 com culto ecumênico
  - Crise segue, e 23% das usinas de etanol e açúcar estão paradas nesta safra
  - Usinas resgatam o emprego e devolvem poder de consumo para 300 famílias
18/04/19 - Mix de cana para etanol e açúcar em 19/20 pode repetir safra anterior, diz Unica
  - Dívida do setor de cana do Brasil aumenta em 18/19 com pressão do dólar, diz Rabobank
17/04/19 - Expansão da bioeletricidade pode reduzir emissões
10/04/19 - Ministério de Minas e Energia divulga Boletim Mensal de Energia referente ao mês de janeiro
08/04/19 - Jovem doutor analisou o armazenamento de carbono e a produção de biomassa para energia no sul do
  Brasil
05/04/19 - Empresas no Triângulo obtêm R$ 49,3 mi em recursos do BNDES para expansão
04/04/19 - Geração de bioenergia cresceu 12% em 2018 no Reino Unido
  - Europa caminha para cortar suas emissões ao menos pela metade até 2030
02/04/19 - Aneel propõe reajuste médio de 6,32% na revisão tarifária da Enel São Paulo
26/03/19 - Ministro de Minas e Energia defende melhoria da governança no setor
25/03/19 - Com menor geração de energia, consumo de gás natural cai 7,87% em janeiro
07/03/19 - Governo define agenda de leilões de energia para o período de 2019 a 2021
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
A solução pela cana: qual é o potencial de produção da bioenergia no Brasil?
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Fórum de Implementação Tecnológica
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário UDOP de Inovação
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados

POLÍTICAS DE PRIVACIDADE
Desenvolvimento:
/