UDOP - União Nacional da Bioenergia
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Economia Aumentar a letra    Diminuir a letra
AEB vê alta no preço de importantes commodities do Brasil no 2º semestre  

17/07/2019 - Os preços de importantes commodities exportadas pelo Brasil deverão subir no segundo semestre, em relação ao primeiro, com algumas exceções como petróleo e açúcar bruto, previu nesta quarta-feira a Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB).

A maior alta foi projetada para o minério de ferro, terceiro produto mais exportado pelo país, que deverá ter um avanço de 13,4% em sua cotação média no segundo semestre, apontou a AEB.

Os preços globais da matéria-prima do aço vêm sendo afetados neste ano, entre outros motivos, por um corte de produção da Vale, que passa por uma revisão em diversas instalações após o rompimento mortal de uma de suas barragens.

A AEB estima um preço médio de 68 dólares por tonelada de minério de ferro na segunda metade do ano, o que deverá elevar a receita com exportações do produto em 9,4% ante 2018, para 22,1 bilhões de dólares.

Com esse resultado, o minério de ferro que já foi o principal produto de exportação do Brasil, deverá se aproximar mais da soja, com exportações estimadas em 25,2 bilhões de dólares, e do petróleo, com 24,1 bilhões de dólares.

A carne suína, com a segunda maior alta de preço projetada, terá um avanço de 12,3% em suas cotações, para 2,4 mil dólares por tonelada. O preço da commodity vem sendo impulsionado por um surto de peste usina africana na China, que tem importado mais carnes para compensar a redução do rebanho.

A soja, que deverá ser pelo quinto ano seguido o principal produto de exportação do Brasil, terá um avanço de 1,2% no segundo semestre, ante o primeiro, para 355 dólares por tonelada.

A AEB destacou que, até junho, foram embarcadas 44,5 milhões de toneladas de soja em grão, representando 62% das 72 milhões de toneladas previstas para embarque em 2019, ante um recorde de mais de 80 milhões de toneladas no ano passado --a peste suína está colaborando para reduzir os embarques da oleaginosa à China.

Em contrapartida, o petróleo, segundo produto mais exportado pelo país, terá uma queda de 6,4% na cotação média no período, para 380 dólares por tonelada, segundo previsão da AEB.

A associação ponderou que a projeção da taxa cambial para o final de 2019 poderá ser influenciada pelo nível dos juros nos Estados Unidos, por eventuais decisões do presidente dos EUA, Donald Trump, por decisões do governo Bolsonaro e pela aprovação de reformas estruturais, com as cotações podendo oscilar entre 3,65 reais e 3,90 reais.

"Em 2019, apesar de fortes oscilações nos três principais produtos de exportação, soja, petróleo e minério de ferro manterão representatividade próxima a 32%, consolidando o peso das commodities nas exportações e no superávit comercial", disse a AEB.

O cenário, segundo a associação, reforça "a imperiosa necessidade de reformas estruturais para reduzir o custo-Brasil e gerar competitividade nas exportações de manufaturados".

Ao todo, as exportações brasileiras em 2018 foram estimadas em cerca de 223 bilhões de dólares, queda de 6,7% ante 2018. Em dezembro, a estimativa para 2019 era de 219 bilhões de dólares.

Marta Nogueira
Fonte: Reuters
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
23/08/19 - Cana-de-açúcar: safra está 60% concluída; qualidade da matéria-prima preocupa
  - Açúcar: preços sobem 19 pontos em Nova York; Londres também valoriza
  - Soja segue em alta no Brasil com combinação de disparada do dólar e prêmios fortes
  - USDA: Vendas semanais da safra velha de soja dos EUA vêm positivas
  - Colheita do milho na Argentina alcança 94,5% da área
  - Safra de soja do Paraná 19/20 pode crescer mais de 20%, diz Deral em 1ª estimativa
  - Petróleo fecha em queda, com PMI industrial fraco dos EUA no radar
  - Recuo nos preços do milho em agosto
  - Ibovespa recua com China e Powell no radar
  - Brasil cria 43 mil vagas de emprego formal em julho
  - Açúcar avança na ICE e outubro é negociado a 11,58 cents/libra
  - Conab reduz previsões para produção de etanol e açúcar do centro-sul
  - Milho: Bolsa de Chicago encerra quinta-feira com cotações estáveis
22/08/19 - Preços agropecuários iniciam agosto em queda
  - TV UDOP exibirá série #TBT com vídeos mais visualizados
21/08/19 - Irã diz que vias marítimas não terão mesma segurança se suas vendas de petróleo forem zeradas
20/08/19 - Preços do petróleo sobem 2% por ataque na Arábia Saudita e expectativa de estímulos
19/08/19 - ANP aprova compra de campo de petróleo da Petrobras por norueguesa BW Offshore
16/08/19 - Maior petroleiro do mundo se prepara para reduzir emissões
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
AEB vê alta no preço de importantes commodities do Brasil no 2º semestre
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário: