UDOP - União Nacional da Bioenergia

FALTAM APENAS

DIAS

HORAS

MINUTOS

SEGUNDOS

PARA O EVENTO MAIS INOVADOR DO SETOR

FALTAM APENAS

DIAS

HORAS

MINUTOS

SEGUNDOS

PARA O EVENTO MAIS INOVADOR DO SETOR

EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Economia Aumentar a letra    Diminuir a letra
Soja: Disponível sobe mais de 1% nos portos do BR nesta 5ª com altas do dólar e Chicago  

20/09/2019 - A quinta-feira (19) foi de bons negócios para o mercado brasileiro da soja. As altas, embora tímidas, registradas na Bolsa de Chicago e mais o forte avanço do dólar frente ao real deram algum impulso à comercialização da oleaginosa. A moeda americana subiu mais de 1% e voltou ao patamar dos R$ 4,15.

Como explicou o analista de mercado Eduardo Vanin, da Agrinvest Commodities, a combinação de ganhos em Chicago e no câmbio ajudaram a dar fôlego aos negócios. Os preços nos portos subiram mais de 1% nas principais referências e ganhos ainda mais expressivos puderam ser observados em algumas praças de comercialização do interior do país.

Em Paranaguá, a soja disponível fechou com R$ 85,50 e alta de 1,79%, enquanto para março o valor ficou em R$ 84,70. No terminal de Rio Grande, alta de 1,78% para R$ 85,70 no spot e estabilidade em R$ 85,00 para março de 2020.

Entre os prêmios, os valores também se manter e fechar o dia não muito distante dos valores do dia anterior, o que também favoreceu o mercado interno.


Bolsa de Chicago

Na Bolsa de Chicago, os futuros da soja terminaram o pregão desta quinta-feira com altas de pouco mais de 3 pontos nos principais contratos, com o novembro valendo US$ 8,93 por bushel, enquanto o março/20 foi a US$ 9,18.

O mercado encontrou algum suporte nas vendas semanais norte-americanas para exportação, divulgadas nesta quinta-feira pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). Foram de 1,728 milhão de tonelada, acima das expectativas do mercado, que variavam de 700 mil a 1,1 milhão de toneladas.

Os maiores compradores da oleaginosa norte-americana foram a China, o México e o Egito.

E embora as vendas semanais tenham sido fortes e acima do esperado, no acumulado do ano comercial o total de 11,181 milhões de toneladas ainda se mostra abaixo do mesmo período do ano anterior em 37%.

Ainda assim, os traders seguem à espera de novas informações, principalmente do lado da demanda, e atuam com cautela, buscando um bom posicionamento antes da chegada destas notícias.

E nesta quinta, negociadores chineses e americanos se encontram em Washington para preparar o ambiente para os times do alto escalão que se reúnem na capital americana em outubro. Segundo especialistas, esse primeiro encontro - depois de dois meses do último - acontece em meio a muitas diferenças e desacordos.

"O mercado continua não se impressionando com 3 dias consecutivos de compras de soja americana pela China (já vimos esse filme antes e a guerra comercial continua) e, portanto, preferam esperar as reuniões do início de outubro para ver se vale a pena se posicionar com mais otimismo", explica o consultor da Cerealpar e da AgroCulte, Steve Cachia.

E o executivo explica ainda que a pressão sazonal da colheita nos EUA também ainda pesa sobre os preços em Chicago neste momento. Para o milho, os trabalhos de campo já começaram. "Fora noticias de exportações, só uma mudança nos mapas climaticos (geada) para as proximas 2 semanas será capaz de animar os traders", conclui Cachia.

No Brasil, o atraso das chuvas também chama a atenção e ainda não dá condições de plantio para alguns estados importantes que já têm a semeadura liberada, como Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Os níveis de umidade do solo ainda são insuficiente e o calor intenso continua.

No cenário externo, os traders acompanham esse início de safra um tanto preocupante para os produtores brasileiros, porém, sem ainda trazer reflexos para o mercado.

19/09/19
Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
22/10/19 - Trump elogia negociação comercial EUA-China, mas Pequim vai contra os EUA na OMC
  - Vice ministro das Relações Exteriores da China diz que foi feito progresso em negociação com EUA
  - Índices da China sobem com suporte de setor de tecnologia
  - Soja: Semana começa com safra nova marcando R$ 90 nos portos e bons negócios
  - Milho se desvaloriza em Chicago com demanda fraca e espera por dados de colheita do USDA
  - Embarques de soja do Brasil ganham ritmo no mês; os de milho têm recuo, diz Secex
  - USDA traz colheita da soja evoluindo para 46%, mas ainda com bastante atraso
21/10/19 - Soja 2019/20: Apesar de chuvas melhores, produtores seguem em alerta; veja fotos e vídeos
  - Chuvas amenizam tensão sobre atraso no plantio de soja no Paraná, diz AgRural
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Soja: Disponível sobe mais de 1% nos portos do BR nesta 5ª com altas do dólar e Chicago
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário: