UDOP - União Nacional da Bioenergia
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Cana-de-açúcar Aumentar a letra    Diminuir a letra
Audiência Pública sobre setor sucroenergético reúne lideranças políticas, empresários e trabalhadores  

01/10/2019 - Colaboradores das usinas, prefeitos e vereadores de municípios que têm usinas de etanol, deputados e empresários participaram hoje (01), na Assembleia Legislativa de Goiás, de uma audiência pública que discutiu os incentivos fiscais do setor sucroenergético goiano. A iniciativa foi do deputado estadual Henrique Arantes, após a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a concessão de incentivos fiscais em Goiás anunciar que vai propor a retirada do crédito outorgado das usinas.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás, Sandro Mabel, participou do debate e defendeu veementemente a continuação dos incentivos. "A indústria sucroalcooleira cresceu porque o Estado disse ?vem para cá, que nós vamos dar incentivos fiscais para você ter competitividade para vender em São Paulo?. Hoje, tem o projeto que quer acabar com os incentivos do álcool anidro. Não tem como vender um litro de álcool anidro se não tiver o incentivo para levá-lo e ser vendido em São Paulo", observou Sandro.

Os deputados presentes se posicionaram contra o fim dos incentivos. Hélio de Sousa (PSDB) frisou que vai reunir assinaturas para pôr fim ao projeto de retirada de incentivos. "Tenho certeza de que todos os presentes estão preocupados com a incerteza jurídica que vivemos. A CPI é importante porque ela tem provado que os incentivos fiscais são o combustível que alimenta os empregos e a industrialização do Estado", afirmou.

Para o deputado Jeferson Rodrigues (Republicanos), a quantidade de empregos gerados pelas indústrias que recebem o benefício é inquestionável. "Nós estaremos aqui buscando o entendimento porque o melhor programa social que existe é gerar emprego e renda", frisou.

O deputado Wilde Cambão (PSD) disse ser importante discutir o tema "passamos por uma crise, mas não podemos afastar quem gera emprego e renda para nossa gente".

Já o deputado Zé Carapô (DC) citou como exemplo o desenvolvimento de Jataí com as usinas de cana-de-açúcar. "Poderíamos falar em acabar com os incentivos fiscais se vivêssemos uma realidade utópica com facilidade para produzir, o que não é nossa realidade", disse.

O presidente executivo do Sindicato da Indústria de Fabricação de Açúcar do Estado de Goiás (Sifaçúcar) e do Sindicato da Indústria de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás (Sifaeg), André Rocha, apresentou números e ações do setor. Segundo ele, Goiás é o segundo maior produtor brasileiro de cana-de-açúcar e de etanol, e está em quarto lugar na produção de açúcar. As usinas estão presentes em 29 municípios goianos. São 35 indústrias em funcionamento, três com atividades suspensas e 13 em recuperação judicial. "Crescemos em 18 anos dez vezes a produção de cana-de-açúcar. Desde 2012 conseguimos ultrapassar Minas em produção", destacou.

André Rocha mostrou que o setor tem sido o que mais investe em Goiás nos últimos anos. São mais de R$ 20 bilhões. As empresas representam quase 30% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial e 7,2 % do PIB total do Estado.

"Na maioria dos municípios que abrigam indústrias, somos os maiores empregadores. São gerados 60 mil empregos diretos e outros 250 mil postos de trabalho indiretos", frisou.

O presidente executivo do Sifaçúcar e Sifaeg alertou que se tirar o crédito outorgado, serão retirados 100% dos incentivos. "As usinas vão perder, os trabalhadores vão perder, com os próprios empregos. Todo mundo vai perder, o combustível vai aumentar. O incentivo fiscal, no nosso caso, gera imposto, gera emprego, gera preço competitivo. Se tirar os incentivos estamos aumentando a carga tributária para os consumidores", afirmou.

Participaram da audiência pública centenas de pessoas, entre elas, os presidentes da Associação Pró-Desenvolvimento Industrial do Estado de Goiás (Adial), Otávio Lage Siqueira Filho; e da Comissão de Cana-de-Açúcar da Faeg, Joaquim Sardinha Júnior, o diretor da Usina Anicuns, Doutor Josué; os prefeitos de Quirinópolis, Bom Jesus, Americano do Brasil, Rubiataba, Turvelândia, Ceres, Goianésia e vereadores de Anicuns e Americano do Brasil.

Assessoria de Comunicação do Sifaeg e Sifaçúcar
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
18/10/19 - Mato Grosso do Sul moerá menos cana na entressafra e já acumula 86,6% de etanol produzido
  - Açúcar: alta da exportação indiana derruba preços futuros em NY
  - LNBR divulga 44ª edição do Boletim de Monitoramento da cana-de-açúcar em São Paulo e Goiás
  - Etanol: governo destina apenas ao produtor cota sem tarifa; cronograma de importação é definido
17/10/19 - Açúcar: preços caem puxados por dados da China e da Índia
  - Grupo Santa Terezinha inaugura moderno Centro de Produção de Mudas de Cana-de-açúcar
  - Cientistas desenvolvem proteína contra doença da cana-de-açúcar
  - Etanol: governo destina apenas ao produtor local cota sem tarifa
  - Renata Beckert Isfer assume Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do MME
16/10/19 - Com setembro mais seco, usinas aceleram moagem de cana-de-açúcar em MS
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Audiência Pública sobre setor sucroenergético reúne lideranças políticas, empresários e trabalhadores
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário: