UDOP - União Nacional da Bioenergia

FALTAM APENAS

DIAS

HORAS

MINUTOS

SEGUNDOS

PARA O EVENTO MAIS INOVADOR DO SETOR

FALTAM APENAS

DIAS

HORAS

MINUTOS

SEGUNDOS

PARA O EVENTO MAIS INOVADOR DO SETOR

EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Cana-de-açúcar Aumentar a letra    Diminuir a letra
Cientistas desenvolvem proteína contra doença da cana-de-açúcar  

17/10/2019 - Com o uso da bioinformática, pesquisadores da Embrapa Agrobiologia (RJ) conseguiram produzir uma proteína recombinante que tem ação antimicrobiana contra a bactéria Xanthomonas albilineans e outros microrganismos causadores de doenças de plantas. Proteínas recombinantes são as produzidas por organismos diferentes daqueles que normalmente as geram (veja quadro abaixo). A X. albilineans é a causadora da escaldadura das folhas, doença que pode acarretar perdas de até 100% em um canavial, quando acomete variedades suscetíveis.

A partir da proteína recombinante denominada Gluconacina, os pesquisadores pretendem chegar, nos próximos anos, a uma formulação biotecnológica para ser aplicada no campo na prevenção de doenças. "O objetivo é ter um produto com grande quantidade de bacteriocina para usar direto na planta por meio de pulverização", conta a pesquisadora da Embrapa Márcia Vidal, que faz parte da equipe envolvida nesse estudo.

A Gluconacina é uma bacteriocina (proteína com ação contra agentes causadores de doenças) produzida naturalmente pela bactéria Gluconacetobacter diazotrophicus, muito comum em cana-de-açúcar e com reconhecido potencial de controle contra alguns microrganismos causadores de doenças na cultura. No entanto, ela só é produzida quando a bactéria é submetida a alguma situação de estresse.

A pesquisadora explica que por meio de ferramentas de bioinformática foi possível identificar o gene que codifica a bacteriocina e o inseri-lo em outra bactéria, que funciona como um tubo de ensaio e possibilita a produção em grande quantidade. "Além de superexpressar em outro organismo, o nosso objetivo era também expressar a bacteriocina independentemente da condição da bactéria a que ela está sendo submetida", explica Vidal.


Como a proteína age?

Por meio de testes in vitro e em casa de vegetação, os pesquisadores constataram que a Gluconacina ataca as bactérias, provoca o rompimento da membrana e mata os microrganismos patogênicos. A estabilidade da proteína foi testada em altas temperaturas, em meios ácidos e diante de outras substâncias como, por exemplo, os agentes adesivantes muito utilizados como veículo para produtos aplicados nas lavouras.

Em todas as simulações, a proteína manteve suas características e ação antimicrobiana. Durante os testes, os pesquisadores conseguiram ainda definir qual a concentração mínima inibitória para o controle da escaldadura das folhas de cana-de-açúcar.


O remédio que vem da bactéria da própria planta

A bactéria Gluconacetobacter diazotrophicus foi isolada pela primeira vez em 1988 por pesquisadores da Embrapa Agrobiologia. Presente em culturas como a cana-de-açúcar, a batata-doce, o abacaxi e o capim-elefante, é essencial para o crescimento dessas espécies vegetais, por ser uma das principais responsáveis pelo processo de fixação biológica de nitrogênio, em que o elemento químico é retirado da atmosfera e transferido para as plantas.

A bactéria produz ainda hormônios vegetais que promovem o aumento da área do sistema radicular e, por consequência, ampliam a capacidade de absorção de alguns nutrientes essenciais do solo.

Os estudos envolvendo genética molecular com a G.diazotrophicus começaram ainda na década de 1990. Entretanto, o sequenciamento completo do genoma da bactéria ocorreu na primeira década do século XXI e foi realizado por uma equipe multidisciplinar de cientistas brasileiros de diferentes instituições, entre elas a Embrapa Agrobiologia. Com o sequenciamento, foi possível identificar genes com potencial agrobiotecnológico e chegar à Gluconacina.

15/10/19
Fonte: Embrapa
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
19/11/19 - LNBR divulga 45ª edição do Boletim de Monitoramento da cana-de-açúcar em São Paulo e Goiás
12/11/19 - Pesquisa de campo recolhe dados sobre a cana
11/11/19 - Venda de hidratado ultrapassa 2 bi de litros e registra novo recorde em outubro
  - Empresa Tereos inaugura novo biodigestor de R$ 15 milhões em Palmital
  - Eventos
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Cientistas desenvolvem proteína contra doença da cana-de-açúcar
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário: