Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Preços do açúcar fecham mistos nos mercados futuros; seca continua impulsionando a commodity
Publicado em 10/05/2021 às 08h37
Foto Notícia
Os preços do açúcar fecharam mistos nas bolsas internacionais na última sexta-feira (7). Em Nova York, na ICE, a commodity foi negociada, no vencimento julho/21, em 17,49 centavos de dólar por libra-peso, recuo de 6 pontos no comparativo com a véspera. Já a tela outubro/21 caiu 2 pontos, negociada em 17,56 cts/lb. Os demais contratos oscilaram entre a estabilidade, queda de 1 ponto e alta de 11 pontos.

Segundo analistas ouvidos pela Reuters, "o mercado do açúcar deve registrar algumas vendas no curto prazo devido ao crescente desconto para o contrato julho frente ao outubro, um sinal baixista que indica aumento nas ofertas".

Ainda segundo estes analistas, o contrato julho deve encontrar suporte abaixo dos 17,20 centavos, com o cenário de ofertas se deteriorando no Brasil, maior produtor global. Isso significa que o mercado, no fim das contas, está posicionado para ganhos.

Açúcar branco

Em Londres, o açúcar branco, subiu em quase todos os lotes, com exceção apenas para o contrato com vencimento dezembro/21, que fechou estável. O lote agosto/21 subiu 1,80 dólar, negociado em US$ 464,70 a tonelada. As demais telas subiram entre 60 cents e 1,70 dólar.

Análise

Em seu artigo semanal sobre o mercado global de açúcar, o diretor da Archer Consulting, Arnaldo Luiz Corrêa destacou que a principal pergunta atualmente tem sido o porquê do mercado de açúcar estar com vigorosa alta. "O consenso é que o mercado sobe devido à seca. A propalada quebra na safra de cana varia dependendo da fonte em que se queira beber da informação. Tem para todas as sedes: de 5% a 30% de redução na produção de cana no Centro-Sul, comparativamente ao volume produzido no ano passado. Estamos falando de estimativas que vão de 575 até 520 milhões de toneladas de cana".

Dentre os outros argumentos enumerados pelo diretor da Archer para a alta da commodity estão: o novo boom das commodities como esteio, a inflação mundial que busca proteção nos mercados de commodities, a esperada explosão do consumo mundial pós-pandemia e o espetacular crescimento do PIB chinês e indiano, ainda que essa elevação seja sobre bases menores.
Açúcar cristal

No mercado doméstico os preços do açúcar cristal encerraram a última semana em alta pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. Na sexta-feira, a saca de 50 quilos foi negociada em R$ 114,22, contra R$ 113,75 da véspera, valorização de 0,41% no comparativo.
Rogério Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.
Mais Lidas