Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Etanol: hidratado cai 4,17% e anidro recua 2,20% pelo Indicador Cepea/Esalq da USP
Publicado em 21/06/2021 às 08h52
Foto Notícia
Os etanóis anidro e hidratado fecharam a semana de 14 a 18 de junho em baixa pelo Indicador Cepea/Esalq da USP. A maior baixa ocorreu no etanol hidratado, usado nos carros flex ou originalmente a álcool, que recuou 4,17% no comparativo entre os preços da última semana e da semana anterior. O litro do biocombustível foi negociado, semana passada, a R$ 2,8753, contra R$ 3,0004 o litro da semana anterior.

Já o etanol anidro, usado na mistura com a gasolina, recuou 2,20% na última semana, interrompendo um ciclo de duas semanas consecutivas de alta. O litro do anidro foi negociado na semana passada a R$ 3,3691 contra R$ 3,4448 o litro da semana de 7 a 11 de junho.

Análise

Em sua análise semanal do mercado sucroenergético o diretor da Archer Consulting, Arnaldo Luiz Corrêa destacou em certo trecho: "não há a menor chance de o Brasil abandonar a produção de etanol e inundar o planeta com açúcar num futuro próximo porque nossos veículos passarão a ser elétricos a partir de 2030 ou 2035 como acreditam alguns. Que isso possa acontecer na Europa ou Estados Unidos eu não duvido. Mas aqui, um País onde 35 milhões de pessoas não tem acesso à água, 100 milhões não tem acesso a rede de esgoto, e que nas rodovias não se encontra um banheiro público decente, você acha realmente que vai encontrar locais para carregar as baterias do seu carro elétrico? Só pode ser brincadeira".

Em outro ponto, Corrêa destaca, também acreditar "que essa década será pujante sustentada por três grandes pilares: o crescimento do consumo mundial de açúcar na Ásia amparado pela melhora na renda e aumento populacional; os programas de estímulo ao consumo de combustíveis renováveis que vai expandir a demanda de etanol e a perspectiva de melhoria na economia no Brasil que vai fazer retornar os níveis de consumo de combustíveis e alimentos ao nível pré-pandemia. Vamos precisar expandir o parque industrial".

Indicador Diário Paulínia

Pelo 9º dia seguido o Indicador Diário Paulínia para o etanol hidratado fechou em baixa na última sexta-feira. O metro cúbico do biocombustível foi negociado a R$ 2.868,00 contra R$ 2.868,50 o m³ praticado na véspera, pequena variação negativa de 0,02% no comparativo. No mês o indicador acumula perda de 4,84%.
Rogério Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.
Mais Lidas