Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Hidratado despenca sem pressão da gasolina e mesmo com oferta contida de safra
Publicado em 21/06/2021 às 08h07
Foto Notícia
Depois de seguidas quedas nos preços das distribuidoras desde a semana passada, e, de carona na redução da gasolina nas refinarias, no dia 12, em 2%, o etanol hidratado despencou 4,17% nas usinas do Centro-Sul no acumulado de 14 a 18 de junho, como o Cepea confirmou a antecipação de Money Times, na quarta (16).

Queda essa que se dá com a oferta das indústrias ainda contida. O etanol anidro avançou (além do açúcar), mas o hidratado perdeu 7% de produção na segunda quinzena de maio, de acordo com Unica, para 1,19 bilhão de litros.

Nos primeiros 15 dias de junho, os números deverão dizer uma produção pouco maior, sobre essa base deprimida, mas nada que demonstre pressão de oferta sobre os preços oferecidos às distribuidoras.

A perda de competitividade é flagrante, com a paridade de preços com a gasolina em torno de 80% nas bombas, e ainda tem buscado pequenas altas para o consumidor, segundo dados da ANP também para esta semana.

A Petrobras (PETR4) vem controlando os reajustes da gasolina enquanto o dólar está em modo queda. Quando a petroleira tirou 2% da gasolina, o petróleo estava em US$ 72 o barril e Londres.

Vem oscilando bastante. Nesta semana chegou ao pico de US$ 74, voltou para US$ 72 em um rali de queda de todas as commodities como o Federal Reserve sinalizou com altas dos juros nos EUA em 2023, e vai começar os negócios na segunda a US$ 73,51, quando finalizou a sexta em 0,15%.
Giovanni Lorenzon
Fonte: Money Times
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas