Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Contratos futuros do açúcar fecham em alta com início de safra lento no Brasil
Publicado em 08/04/2022 às 09h00
Foto Notícia
Os ganhos recentes nos mercados mundiais de energia e o lento início da safra de cana-de-açúcar no Brasil impulsionaram as cotações do açúcar nesta quinta-feira (7) que atingiram uma máxima de quatro meses e meio na ICE Futures de Nova York. As análises são da Agência de Notícias Reuters.

O contrato maio/22 de NY do açúcar bruto foi negociado ontem a 19,84 centavos de dólar por libra-peso, após terem atingido, durante o pregão, a máxima de 20,04 centavos de dólar. O valor do fechamento representa ganho de 25 pontos no comparativo com a véspera, ou 1,3%.

"Operadores disseram que os ganhos nos preços da energia foram favoráveis, com o atual alto preço do etanol hidratado no Brasil provavelmente levando a um maior uso da cana para produzir o biocombustível, reduzindo a produção de açúcar", destacou a Reuters.

A agência trouxe ainda uma análise do analista da Datagro, Bruno Wanderley, durante uma apresentação do Sugaronline, que destacou que as produtividades da colheita inicial ficaram 10% abaixo das expectativas das usinas brasileiras, o que levou algumas delas a parar e esperar por mais desenvolvimento da cana.

Açúcar branco

Em Londres na ICE Futures Europe a quinta-feira foi de alta também nas cotações do açúcar branco. O vencimento maio/22 foi contratado a US$ 548,70 a tonelada, valorização de 3,10 dólares, ou 0,6%, no comparativo com os preços de quarta.

Açúcar cristal

No mercado doméstico a quinta-feira foi de alta nas cotações do açúcar cristal medidas pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. A saca de 50 quilos foi negociada a R$ 142,47 contra R$ 142,41 da véspera, pequena variação positiva de 0,04% no comparativo.

Etanol hidratado

Já o etanol hidratado fechou em forte alta pelo Indicador Diário Paulínia nesta quinta-feira. O biocombustível foi negociado a R$ 3.722,00 o m³, contra RR$ 3.611,50 o m³ praticado no dia anterior, valorização de 3,06%.
Rogerio Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.
Mais Lidas