Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Com covid voltando a ameaçar, commodities iniciam semana em baixa; açúcar atinge mínima de 30 dias
Publicado em 26/04/2022 às 07h35
Foto Notícia
Com um cenário macroeconômico que volta a preocupar, o complexo de commodities iniciou a semana em baixa em todo o mundo, diante, principalmente, da baixa demanda com os severos lockdowns impostos na China dentro da política de zero covid do gigante asiático. Outro fator que pressionou o mercado nesta segunda-feira (25) foi o movimento contra risco de fundos, "à medida que a subida das taxas de juros dos EUA se aproxima", destacou a Reuters.

Diante deste cenário as cotações do açúcar bruto da ICE Future de Nova York atingiram a mínimo de quase um mês. O contrato maio/22 foi contratado ontem a 18,95 centavos de dólar por libra-peso, recuo de 29 pontos, ou 1,5%, no comparativo com os preços de sexta-feira. Já a tela julho/22 foi contratada a 18,88 cts/lb, desvalorização de 33 pontos. Os demais lotes caíram entre 19 e 34 pontos.

"O ambiente macro foi rebaixado para negativo, um vento contrário de baixa para os fluxos de recursos da agricultura. Os investidores estão preocupados com o FED [sigla para o Sistema de Reserva Federal dos EUA] altista, taxas de juros mais elevados, gargalos da covid-19 na China e ganhos corporativos fracos", disse a Peak Research em nota trazida pela Reuters.

Ainda segundo a Agência Internacional de Notícias, operadores disseram que a moeda brasileira mais fraca e os preços mais baixos do petróleo significam que o mix de produção entre açúcar ou etanol no Brasil provavelmente não mudará muito em relação à temporada passada, ajudando a garantir suprimentos adequados de açúcar.

Açúcar branco

Em Londres a segunda-feira também foi de baixa em todos os lotes do açúcar branco da ICE Future Europe. O vencimento maio/22 foi contratado a US$ 521,10 a tonelada, recuo de 9,40 dólares no comparativo com os preços de sexta-feira. Já a tela agosto/22 caiu 8,40 dólares, comercializada a 515 dólares a tonelada. Os demais vencimentos recuaram entre 4,90 e 7,90 dólares.

Açúcar cristal

O Indicador Cepea/Esalq, da USP, para o açúcar cristal começou a semana em baixa. Ontem a saca de 50 quilos foi negociada a R$ 139,48 contra R$ 139,57 de sexta-feira, pequena variação negativa de 0,06% no comparativo.

Etanol hidratado

O etanol hidratado medido pelo Indicador Diário Paulínia também iniciou a semana em baixa, registrando sua sexta desvalorização seguida. Ontem, o biocombustível foi negociado pelas usinas em R$ 3.788,50 o m³, contra R$ 3.880,50 o m³ praticado na sexta-feira, recuo de 2,37% no comparativo entre os dias, reduzindo, assim, a valorização mensal do indicador para 8,86%.
Rogério Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.
Mais Lidas