Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Como a Volvo expandirá rede de eletropostos de carga rápida no Brasil
Marca já instalou mil equipamentos de corrente alternada; agora, quer espalhar pelo país equipamentos DC para viabilizar viagens longas
Publicado em 20/05/2022 às 08h07
Foto Notícia
Faz exatamente um ano que a Volvo anunciou que venderia apenas carros eletrificados no Brasil, se tornando a primeira marca a abolir o motor a combustão de seus modelos. Comercializando veículos do tipo desde 2018 -- a estreia foi com o XC90 Plug-in Hybrid --, a fabricante sueca já instalou por aqui mais de mil eletropostos de corrente alternada (AC).

Agora, começa a espalhar pelas rodovias equipamentos de corrente contínua (DC), que agilizam a recarga.

"Naquele momento precisávamos compor uma estrutura para modelos híbridos, que na cidade geralmente rodam com energia e na estrada usam seus motores a gasolina. Hoje, com o movimento de expansão dos 100% elétricos, precisamos de carregadores mais poderosos para atender esses veículos nas rodovias", explicou à Forbes João Oliveira, diretor Operações e Inovação da Volvo Car Brasil.

O primeiro desses novos eletropostos foi instalado há cerca de duas semanas na rodovia Régis Bittencourt, no município paulista de Cajati, a pouco mais de 230 quilômetros da capital, viabilizando assim uma viagem até Curitiba (PR). Com 150 kWh de potência, é capaz de recarregar um XC40 elétrico em cerca de 45 minutos, segundo a Volvo.

Em junho, o segundo será montado no trecho de Botucatu da rodovia Marechal Rondon, no interior de São Paulo. "Estamos enviando o equipamento para lá e tratando dos trâmites de disponibilização de energia com a concessionária local", explica Oliveira.

A primeira fase da expansão de aparelhos DC ainda contemplará as cidades paulistas de São Carlos, Penápolis, Avaré, São Sebastião, Ubatuba, Taubaté, Cubatão, Jacareí e Leme; e as mineiras Oliveira e Pouso Alegre. Serão ao todo 13 unidades, cobrindo 3.250 quilômetros para conectar as capitais de Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Cada um dos pontos terá capacidade para carregar dois veículos simultaneamente.

Nordeste ou Centro-Oeste

A Volvo ainda estuda se a próxima das quatro etapas restantes -- que terá início no segundo semestre -- cobrirá a região Nordeste ou o Centro-Oeste.

"Quebramos a expansão em fases não por uma questão de disponibilidade de recursos, mas sim de aprendizagem. Concluída a primeira etapa, vamos entender os hábitos do consumidor e a partir daí validar nossa estratégia, replicando o que já fizemos ou adaptando para a próxima fase", explica Oliveira.

O executivo também revelou à Forbes que o cruzamento das informações de autonomia das baterias com o mapa de eletropostos já instalados é ponto fundamental na expansão.

"Em Registro, por exemplo, há um carregador da Volkswagen. Não vou instalar outro ali pois não vai beneficiar o usuário em nada. Nesse sentido não há competição. Quanto mais estrutura, melhor para o consumidor, que se sentirá mais confortável para usar a tecnologia", pondera.

O que conta na corrida dos eletropostos é o fortalecimento de marca. Daí os equipamentos, construídos e instalados por empresas do ramo energético, levarem o logotipo desta ou daquela fabricante. Os da Volvo aparecem no Waze como "Eletroposto Carga Rápida Volvo".

As cinco etapas, que contemplarão entre 13 e 15 eletropostos cada, serão concluídas em até três anos, calcula o diretor da Volvo.

Durante a inauguração do carregador rápido de Cajati, Luis Rezende, presidente da Volvo Car Brasil, avisou: "esse é só o começo. Nosso plano é ousado e muito abrangente, vamos colocar carregadores rápidos por todo o Brasil para permitir as viagens intermunicipais e interestaduais para os proprietários de veículos elétricos. E isso vale tanto para quem é cliente da Volvo, como também de outras marcas".
Fonte: Forbes
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas