Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Açúcar: contratos futuros tocam mínima de 4 meses na ICE de NY
Publicado em 27/06/2022 às 07h31
Foto Notícia
A sexta-feira (24) foi de baixa nas cotações do açúcar nas bolsas internacionais. Na ICE, de Nova York, a commodity chegou a tocar a mínima de quatro meses, com especuladores desfazendo posições compradas com preocupações sobre uma desaceleração econômica global, segundo analistas ouvidos pela Reuters.

O lote julho/22 do açúcar bruto foi contratado a 18,37 centavos de dólar por libra-peso, recuo de 1 ponto no comparativo com os preços do dia anterior. Durante a sessão de sexta-feira, o lote julho/22 chegou a atingir 18,23 cts/lb, preço mais baixo desde 1º de março. ""O mal-estar macro mais amplo está infectando o açúcar", disse em nota o analista Tobin Gorey, do Commonwealth Bank of Australia.

Ainda segundo a Reuters, "os fundos de hedge estão vendendo futuros de commodities devido à fraqueza macroeconômica e preocupações com recessão e melhores condições climáticas. O dólar forte e o real fraco são um vento contrário significativo para os softs", disse Dave Whitcomb, chefe de pesquisa da Peak Trading Research.

Os demais lotes do açúcar bruto negociados em Nova York oscilaram para baixo entre 2 e 5 pontos, com exceção da tela maio/24 que fechou estável a 17,42 cts/lb.

Londres

Em Londres o mercado de açúcar branco também teve uma sexta-feira de baixa em todas as telas negociadas na ICE Future Europe. O vencimento agosto/22 foi contratado a US$ 543,60 a tonelada, desvalorização de 7,40 dólares no comparativo com o dia anterior. Já a tela outubro/22 foi contratada a US$ 523,30 a tonelada, recuo de 3,60 dólares. Os demais contratos fecharam no vermelho entre 40 cents e 1,80 dólar.

Análise

Segundo análise do economista Arnaldo Luiz Corrêa, diretor da Archer Consulting, "junho está sendo um mês tenebroso para as commodities. Algodão já caiu 30%, gás natural 23%, óleo de soja 14%, milho e soja 9%, petróleo WTI 6.5%. A boa notícia é que essa queda das principais commodities pode dar uma trégua na inflação mundial além de tirar a pressão sobre as taxas de juros. Os mercados bem que gostariam de poder respirar novamente menos tensos. Será? Acenda uma vela para o seu anjo da guarda e vamos ver no que dá".

Mercado doméstico

No mercado doméstico a sexta-feira foi de alta nas cotações do açúcar cristal medidas pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. A saca de 50 quilos foi negociada pelas usinas a R$ 127,14 contra R$ 126,75 praticado na quinta-feira, valorização de 0,31% no comparativo entre os dias.
Rogerio Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.
Mais Lidas