Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
"Adesão do Brasil ao acordo global de florestas é necessário para enfrentar crise climática"
Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura diz que Brasil precisa demonstrar ao mundo que é possível alinhar a produção de alimentos a conservação
Publicado em 04/11/2021 às 08h50
Foto Notícia
A Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura elogiou a iniciativa tomada por mais de 100 líderes, entre eles o governo brasileiro, de aderir ao compromisso firmado na COP26 de reduzir o desmatamento até 2030. Segundo a coalizão, o Brasil sinaliza a postura colaborativa necessária para o enfrentamento da crise climática, já que o desmatamento é a principal fonte de emissões de gases de efeito estufa que nos colocam entre os cinco maiores emissores globais. A Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura, é um movimento multissetorial composto por mais de 300 empresas, organizações da sociedade civil, setor financeiro e academia.

O Brasil precisa demonstrar ao mundo que é possível alinhar a produção de commodities e de alimentos em larga escala com a conservação. O setor empresarial já conduz diversas iniciativas que indicam este caminho. O país deve investir no desenvolvimento e disseminação de tecnologias para o aumento da sustentabilidade no campo, como a rastreabilidade da cadeia de suprimentos.

A Coalizão diz que um ponto fundamental para o sucesso desse processo será o reconhecimento da importância dos povos originários e comunidades tradicionais, guardiões desses ecossistemas e detentores de valiosos conhecimentos tradicionais. Apenas 1,6% do desmate no país entre 1985 e 2020 ocorreu em terras indígenas, segundo levantamento divulgado em agosto pelo MapBiomas.

O acordo global de florestas é um marco no âmbito das negociações climáticas internacionais, que cada vez mais levam em consideração as emissões oriundas do desmatamento, estimadas em 25% do total global atualmente. Ao mesmo tempo, como o recente relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas destacou, não há possibilidade de cumprir a meta de 1,5C do Acordo de Paris sem a preservação das florestas.
Fonte: Canal Rural
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas