Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Fórum dos Governadores faz reunião de emergência para tratar de ICMS dos combustíveis
Publicado em 24/05/2022 às 16h11
Foto Notícia
O Fórum dos Governadores convocou uma reunião emergencial para esta terça-feira (24) para discutir como enfrentar a votação, marcada para esta tarde na Câmara dos Deputados, do projeto de lei que limita em 17% o ICMS para bens essenciais.

Como o jornal Folha de S.Paulo informou, a proposta é uma das principais apostas do governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) para minimizar o impacto da inflação no curto prazo.

Os governadores são contra o texto e preferem atacar o problema por meio de uma reforma tributária mais ampla. Na reunião virtual marcada para 15h, vão tentar encontrar alternativas para evitar a imposição do teto da tarifa.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), aliado de Bolsonaro, disse ao Painel ser "totalmente contrário" à aprovação da matéria. "No Distrito Federal o impacto seria de R$ 1,5 bilhão", detalhe.

Uma das poucas exceções é o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (União Brasil), que já reduziu o tributo em janeiro. Lá, o imposto cobrado de telecomunicações foi reduzido de 30% para 17%, de energia elétrica de 27% para 17%, do diesel, de 17% para 16% e do gás GLP de 17% para 12%.

Além disso, o ICMS do etanol já é de 12,5% e o do gás de cozinha, de 12%.

O projeto de autoria do deputado Danilo Forte (União-CE), relatado por Elmar Nascimento (União-BA), prevê o teto de 17% de bens considerados essenciais, o que incluiria telecomunicações, energia elétrica e combustíveis.

Para facilitar a aprovação, os líderes discutem o enxugamento do texto para manter apenas energia e combustíveis e, dessa maneira, facilitar a tramitação no Senado. O presidente da casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) resistia ao texto.
Fonte: Yahoo! Finanças
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas