UDOP - União Nacional da Bioenergia
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Fórum de Articulistas Aumentar a letra    Diminuir a letra
Casuísmo em combustíveis  

08/04/2016 - A notícia de que o governo cogita reduzir o preço da gasolina e do diesel caminha na direção contrária à recuperação da Petrobras. Desde janeiro de 2011, quando foi inaugurada a política de preços defasados de combustíveis, a estatal acumulou prejuízo de US$ 28,41 bilhões com a gasolina e de US$ 46,1 bilhões com o diesel.

A comparação dos preços externos e os preços médios nas refinarias indica que em 1 de abril a gasolina continuava 5,1% abaixo da referência internacional, enquanto o do diesel estava 31% acima. O governo vê com a medida a oportunidade de mais uma vez apaziguar o consumidor. Parte da Petrobras vê a possibilidade de controlar a importação direta de diesel operada por grandes consumidores.

Foi em grande parte pelos preços defasados praticados desde 2011 que a Petrobras acumulou dívida de mais de R$ 470 bilhões e levou na esteira o setor do etanol, com dívida de outros R$ 96 bilhões. Para ambos, os preços atuais são suficientes para cobrir apenas os juros da dívida, sem amortização. Reduzir preços agora implica comprometer ainda mais setores da economia, fragilizados pelas políticas equivocadas dos últimos seis anos.

Em 2015, o consumo de etanol combustível, anidro e hidratado, cresceu 19,6% e o de gasolina pura caiu 9,2%. Este ano consumiremos menos hidratado por causa do aumento no preço do etanol, e recuperação do consumo de gasolina. Nesta condição, reduzir o preço da gasolina não faz sentido e o mais correto seria elevar seu tributo específico para ajudar no combate ao déficit fiscal. Reduzir o preço do diesel seria salutar para uma série de setores que dele dependem, mas compromete a capacidade da Petrobras recuperar o seu caixa. Enquanto não houver regulação transparente e previsível que defina a regra de formação dos preços de combustíveis e sua tributação, este mercado continuará sujeito a casuísmos e sem planejamento.

*Artigo originalmente publicado no Portal DCI - Comércio, Indústria & Serviços no dia 07/10/16. Texto extraído do portal da Unica.

Plínio Nastari
Presidente da Datagro
Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não representando,
necessariamente, a opinião e os valores defendidos pela UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
13/12/19 - Otimismo no exterior eleva apetite por risco e dólar cai contra real
  - São Martinho eleva produção de açúcar em 11,4% em 2019/20 e em 6,9% a de etanol
  - TRF-5 proíbe venda direta de etanol de usinas a postos de combustíveis em Pernambuco, Alagoas e
  Sergipe
  - Impasse entre áreas do governo paralisa medida provisória da venda direta de etanol
  - Brasil quer diversificar pauta exportadora para China
  - CCT aprova relatório sobre avaliação da política para energias renováveis e biocombustíveis
  - Açúcar: contratos futuros valorizam nas bolsas internacionais
  - Aposta em mercados emergentes deve continuar em 2020
12/12/19 - Petrobras quer vender fatias de Braskem e Gaspetro em Bolsa
  - Brasil paga dívidas com ONU e banco do Brics
  - Setor de serviços cresce 0,8% em outubro e tem 2ª alta seguida, diz IBGE
  - Controle de preços dos combustíveis não se justifica, diz chefe da Petrobras
09/12/19 - Área técnica da ANP recomenda liberação de delivery de combustíveis por aplicativo
05/12/19 - Petrobras investirá em Búzios quase 25% do total previsto até 2024
04/12/19 - Petrobras eleva diesel em 2% e leva combustível ao maior valor desde o fim de setembro
03/12/19 - Cade questiona Petrobras sobre defasagem no preço da gasolina
  - ANP: etanol é competitivo com gasolina em quatro estados brasileiros
  - Petrobras elevará em 2% preço médio do diesel nas refinarias a partir de quarta-feira
27/11/19 - Petrobras eleva gasolina em 4% nas refinarias após alta do dólar
26/11/19 - ANP: etanol segue competitivo com gasolina em quatro estados brasileiros
19/11/19 - Petrobras comunica a clientes alta de 2,7% no preço da gasolina
05/11/19 - Vendas de combustíveis no Brasil sobem 2,2% em setembro, diz ANP
  - Bombas de combustíveis terão certificação digital a partir de dezembro
01/11/19 - ANP vai avaliar venda de combustíveis por entrega em domicílio
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Casuísmo em combustíveis
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário: