UDOP - União Nacional da Bioenergia

FALTAM APENAS

DIAS

HORAS

MINUTOS

SEGUNDOS

PARA O EVENTO MAIS INOVADOR DO SETOR

FALTAM APENAS

DIAS

HORAS

MINUTOS

SEGUNDOS

PARA O EVENTO MAIS INOVADOR DO SETOR

EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Diversas Aumentar a letra    Diminuir a letra
Colheita da soja pode bater novo recorde  

11/10/2018 - Em uma pesquisa divulgada pela agência Reuters, foi constatado que o Brasil deve colher 120,40 milhões de toneladas de soja na safra 2018/19, com aumento de 2,8% da área plantada. Se concretizado, esse número representa um novo recorde, que ressalta a posição de liderança que o país possui na exportação do grão.

A expansão da área plantada também bateu recordes, atingiu o número de 36,14 milhões de hectares. Ainda assim, há expectativa de aumento, que mesmo significando uma média menor de produtividade quando comparado ao ciclo anterior, a nova projeção para a colheita supera dados de estimativas anteriores.

Por conta da chuva irregular que está ocorrendo nas últimas semanas, os produtores buscam certa cautela neste começo de plantio. No Mato Grosso, o principal produtor brasileiro, segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), o avanço está acima da média dos últimos cinco anos. No estado, as atividades de campo avançaram por volta de 4% da área projetada. No Paraná, estado que está contando com maior ocorrência de pancadas de chuva, o ritmo de plantio está mais acelerado, constando cerca de 20% das áreas semanada.


Previsão para as próximas semanas

De acordo com a meteorologista da Climatempo, Graziella Gonsalves, o início do período úmido ainda esta sendo marcado por muita irregularidade em todo o país. O Estado do Mato Grosso está sofrendo mais com esta condição, já que a chuva está caindo de maneira muito mal distribuída. Fazendas vizinhas acabam recebendo volumes de chuva muito diferentes e isso atrapalha a manutenção do solo para o recebimento dos grãos.

O produtor que teve a umidade do solo recuperada conseguiu realizar o plantio antecipado, porém esta não é a realidade de todo o estado. No início da segunda quinzena de outubro, ocorre uma melhora na distribuição da chuva, porém a regularidade só será vista á partir de novembro.

No Paraná, a chuva estão mais volumosas e abrangentes. O aquecimento do Pacífico na porção mais próxima da linha do Equador, ajuda no avanço das instabilidades sobre o estado. Este aquecimento persiste até que se forme um El Niño fraco e de curta duração, entre novembro e dezembro. Fator que impacta na chuva ser mais frequente sobre o Paraná do que em Mato Grosso. Portanto o plantio pode sofrer paralisações nos dias em que houverem menores aberturas de sol.

Fonte: Climatempo
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
18/11/19 - AgRural vê safra de soja do Brasil em 120,7 mi t, quase estável ante outubro
  - Plantio da safra 2019/20 de milho no RS alcança 81% da área
  - Safra 2019/20: chuva dá trégua no RS e plantio de verão avança
  - Plantio da soja na Bahia está atrasado; Em Mato Grosso, agricultores antecipam vendas do grão
  - Veja a previsão do tempo para segunda-feira (18) em todo o Brasil
  - Milho: Demanda aquecida segue elevando preços no spot
  - Soja: Preço no porto fecha acima de R$ 90/sc
  - Milho: Semana começa com estabilidade para as cotações na Bolsa de Chicago
  - Soja inicia semana com leves altas em Chicago de olho nas negociações China x EUA
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Colheita da soja pode bater novo recorde
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário: